Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.10/1000
Título: Higiene genital feminina
Autor: Ferreira, F
Oliveira, A
Dantas, F
Palavras-chave: Higiene pessoal
Data: 2013
Editora: Hospital Professor Dr. Fernando Fonseca, EPE
Citação: ACÇÃO DE FORMAÇÃO INTERNA, Amadora, 18 de Junho de 2013
Resumo: Introdução: A saúde genitourinária da mulher encontra-se diretamente relacionada com a sua higiene íntima diária. O conhecimento da anatomia da mulher, fases do ciclo menstrual e do ciclo de vida da mulher, melhoram a capacidade de cada mulher promover uma higiene íntima diária adequada à sua fase da vida. Objetivos: Informar sobre os cuidados diários de higiene genital feminina Transmitir conselhos práticos sobre hábitos de higiene, vestuário e comportamentos que promovem o conforto diário Aconselhar acerca da escolha dos produtos de higiene apropriados Desenvolvimento: A região genital feminina é anatomicamente composta pela vulva (grandes e pequenos lábios, introito vaginal, uretra, clitóris), região perianal e região nadegueira A pele região genital tem 2 funções: proteção (térmica, mecânica, química e contra agentes infeciosos) e de barreira biológica, através um pH ácido da barreira lipídica e do suor. O objetivo da realização da higiene íntima diária é a manutenção das funções da pele descritas removendo os resíduos e secreções, mantendo a barreira protetora da pele. Assim, a higienização da região anogenital deve ser efetuada com água corrente, até 2 minutos de duração, com movimentos circulares, utilizando um produto adequado ao pH e sempre da região vulvar para a região perianal. Está aconselhada a sua realização duas vezes por dia, podendo no entanto ser necessário adequar a frequência tendo em conta a temperatura ambiente, idade ou fase do ciclo menstrual. A secagem da zona higienizada deve ser sempre realizada com toalha de algodão e poder-se-á efetuar a hidratação da pele após a higiene Os banhos de assento – a não ser que indicado pelo médico – e os duches ou irrigações vaginais estão amplamente desaconselhados. A escolha do produto de higiene adequado prende-se com múltiplos fatores, nomeadamente: deve respeitar o pH da vagina ( ácido ), evitar fórmulas perfumadas – uma vez que são mais propicias a causar alergias - pode conter lactobacilos e deve-se preferir fórmulas líquidas. Os sabontes sólidos são mais abrasivos, eliminam a barreira lipídica da pele, apresentam um ph mais básico e são um veículo de contaminação bacteriana. Além da higienização adequada da pele da região anogenital e da escolha do produto de lavagem adequado, para manter a integridade e função da pele região genital é igualmente aconselhável a utilização diária roupa interior de algodão que favoreça a ventilação local, evitar roupa apertada e sintética, dormir com roupa larga, trocar a roupa interior diariamente e não utilizar pensos diários. No caso de necessidade de utilização de penso higiénico (menstruação, corrimento, incontinência) trocar sempre que necessário ou, pelo menos, a cada 4 horas, dando preferência a pensos sem película plástica. A depilação genital deverá igualmente ser sempre adequada à sensibilidade pessoal. Conclusão: A higiene genital adequada promove a saúde e o conforto da mulher em qualquer altura da sua vida. Esta meta atinge-se através do conhecimento das funções da pele bem como da sua manutenção, através da escolha dos produtos de higiene apropriados e das boas práticas ao nível do vestuário, utilização assertiva de protetores de roupa interior e da frequência e qualidade da higiene íntima.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.10/1000
Aparece nas colecções:GIN - Comunicações e Conferências

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
higiene intima1.pdf147,66 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.