Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.10/124
Título: Novos dados sobre os Spoligotypes de estirpes do complexo Mycobacterium tuberculosis isoladas no Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra, Portugal)
Outros títulos: Update on the Spoligotypes of Mycobacterium tuberculosis complex isolates from the Fernando FonsecaHospital (Amadora-Sintra, Portugal)
Autor: David, S
Barros, V
Portugal, C
Antunes, A
Cardoso, A
Calado, A
Sancho, L
Sousa, JG
Palavras-chave: Tuberculose
Genótipo
Data: 2005
Editora: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Citação: Rev Port Pneumol. 2005 Nov-Dez;11(6): 513-531
Resumo: O presente estudo populacional, que decorreu entre 1999 e 2003, foi baseado na utilização do Spoligotyping na genotipagem de 452 isolados do complexo Mycobacterium tuberculosis de doentes com tuberculose internados no Hospital Fernando Fonseca. Spoligotypes foram identificados como shared types (ST) recorrendo a uma base de dados internacional. Onze ST raros, não identificados na base de dados, acomodaram 8,4% dos isolados. Aliás, particular a Portugal poderá ser a predominância de ST identificados na base de dados mas não previamente classificados como famílias genotípicas, tais como o ST244, ST150 e ST389, representando 13,3 % do total. A identificação de isolados clínicos de M. africanum de genótipo Afri1 e de M. tuberculosis de genótipo CAS1 poderá confirmar a importação de isolados de origem africana e asiática. M. tuberculosis da família Beijing foi pela primeira vez por nós assinalado a partir de 1999. Desde então, o número de isolados provenientes do hospital passou de um para cinco, anualmente, representando actualmente 2,2%, o que a coloca em décimo lugar em prevalência. M. tuberculosis Beijing poderá corresponder a um problema emergente em Portugal devido à recente imigração proveniente da Europa Oriental e da Ásia. Outros genótipos, ST150 e ST389, mostraram um incremento, cujo significado não é claro. No entanto, as frequências relativas das famílias predominantes LAM, T1 e Haarlem mantiveram-se relativamente estáveis. O presente estudo confirma a variabilidade genética em Portugal dos isolados do complexo M. tuberculosis. Estes estudos poderão contribuir para a definição de prioridades nos programas nacionais de luta contra a tuberculose.
URI: http://hdl.handle.net/10400.10/124
ISSN: 0873-2159
Aparece nas colecções:PATCLIN - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RPP_2005.pdf515,54 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.