Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.10/19
Título: O uso do ópio na sociedade romana e a dependência do princeps Marco Aurélio
Autor: Trancas, B
Santos, NB
Patrício, LD
Palavras-chave: Opiáceos
Dependência de substâncias
Data: 2008
Editora: Ordem dos Médicos
Citação: Acta Med Port. 2008 Nov-Dec;21(6) 581-90
Relatório da Série N.º: 21;6
Resumo: O ópio era conhecido e usado com frequência na sociedade romana. A prática médica reconhecia-lhe utilidade como analgésico, soporífero, anti-tússico ou obstipante, bem como outras sem fundamento científico actual ou revestidas de propriedades quasimágicas. Era ainda utilizado como ingrediente em antídotos, panaceias e venenos. É feita uma compilação não exaustiva do uso do ópio de acordo com os autores, médicos e enciclopedistas da época. As representações mitológicas e literárias da papoila do ópio reflectiam os seus vários usos, sendo associada à prosperidade e fertilidade, ao sono, morte e submundo e à arte da medicina. Apesar do uso livre e frequente não há evidência concreta de fenómenos de dependência, excepto o putativo caso do imperador Marco Aurélio, tido como um dos casos mais prováveis de adição ao ópio.
URI: http://hdl.handle.net/10400.10/19
Aparece nas colecções:PSIQ - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Acta Med Port. 2008 Nov-Dec 21(6) 581-90. Epub 2009 Mar 24..pdf183,37 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.