Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.10/307
Título: Um insucesso de desfibrilhação por CDI resolvido de uma forma pouco habitual
Autor: Oliveira, R
Madeira, F
Ferreira, A
Antunes, S
Morais, C
Gil, VM
Palavras-chave: Fibrilhação ventricular
Desfibrilhadores implantáveis
Falha de prótese
Morte súbita cardíaca
Data: 2010
Editora: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Citação: Rev Port Cardiol 2010; 29 (04): 703-709
Resumo: Um Cardioversor Desfibrilhador Implantável (CDI) destina-se a detectar arritmias ventriculares potencialmente fatais e a terminá-las, quer por estimulação ventricular rápida quer através de uma descarga eléctrica. Actualmente, é uma terapia aceite na prevenção primária e secundária da morte súbita cardíaca. A configuração típica de um CDI é de um eléctrodo de sensing e de desfibrilhação no ventrículo direito (VD) com dois coils (um distal, no ventrículo e outro próximal, na junção da veia cava superior (VCS) com a aurícula direita) que juntamente com o gerador, forma a designada “tríade ventricular”. Esta configuração embora seja eficaz na maior parte dos doentes, não é a mais racional do ponto de vista eléctrico pois o vector de choque encontra-se deslocado anteriormente em relação à maior parte do ventrículo esquerdo (VE). Descreve-se um caso de incapacidade de desfibrilhação pelo CDI resolvido com a implantação de um eléctrodo adicional numa veia tributária do seio coronário.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.10/307
ISSN: 0870-2551
Aparece nas colecções:CAR - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Rev Port Cardiol. 2010 Apr 29(4) 703-9..pdf98,73 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.