Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.10/569
Título: Prematuro e VSR
Autor: Baptista, A
Palavras-chave: Doenças respiratórias
Criança
Vírus sincial respiratório
Palivizumab
Data: 2012
Editora: Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E.
Citação: DIA DA PREVENÇÃO, Amadora, 30 de Março de 2012
Resumo: O VSR é a principal causa de infecção do aparelho respiratório nos 2 primeiros anos de vida, pelo que irei proporcionar informação sobre o vírus sincicial respiratório. Os recém-nascidos, os lactentes com idade inferior a 6 meses, as crianças com patologia pulmonar subjacente, com cardiopatia ou com imunodeficiência, constituem os grupos de maior risco de contrair uma infecção grave. O período de incubação varia entre 3 e 5 dias.Os meses de maior prevalência de infecção pelo VSR são os meses de inverno( Outubro a Abril). Não existe terapêutica específica comprovadamente eficaz. Prevenção primária A prevenção primária é fundamental na prevenção da disseminação dos vírus respiratórios. O ensino e informação aos pais de todos os recém-nascidos, sobre o risco que a criança corre de contrair uma infecção das vias respiratórias, nomeadamente VSR, Adenovírus ou vírus Influenza, sobretudo se nasceu numa época de epidemia e se tem irmãos em infantários, é de primordial importância na prevenção deste tipo de infecções. É fundamental insistir na lavagem das mãos, especialmente durante os períodos de maior risco de infecções respiratórias. Evitar o contacto com pessoas infectadas e, se este for estritamente necessário, usar máscara durante a prestação de cuidados. Prevenção secundária Apesar dos cerca de 40 anos de investigação ainda não há vacina disponível. A imunoglobulina e o anticorpo monoclonal são as duas únicas medidas profilácticas existentes actualmente. Cada uma tem as suas indicações e contra-indicações. Referimos apenas algumas das mais importantes: a imunoglobulina específica requer uma lenta administração endovenosa, logo hospitalar, de grande volume de produto, incompatível com o baixo peso ou a patologia pulmonar ou cardíaca de muitas crianças; interfere no calendário de vacinas; protege contra vírus e bactérias causadoras de infecções respiratórias altas e baixas e otite média aguda. O anticorpo monoclonal do VSR protege apenas contra o VSR; a administração por via intramuscular possibilita a administração em ambulatório; não interfere no calendário das vacinas. A prevenção da infecção por VSR baseia-se na adopção de medidas higiénicas preventivas e na utilização do palivizumab,anticorpoIgG monoclonal.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.10/569
Aparece nas colecções:PED - Comunicações e Conferências

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dia da prevenção cristina-.pdf3,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.