Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.10/586
Título: O conceito de pensamento paleológico segundo Arieti
Autor: Melo, J
Palavras-chave: Esquizofrenia
Data: 2005
Editora: Serviço de Psiquiatria do Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E.
Citação: Psilogos.2005; 2(1): 75-81
Resumo: A Lógica Aristotélica, que é caracterizada por quatro leis, é a mais comummente aceite como representativa do pensamento normal, considerando-o no seu aspecto formal. Arieti defende a existência doutra lógica, que denomina de «Paleológica», que era dominante no ser humano no inicio da sua evolução e que ocorre também em certas características do pensamento infantil e ainda no processo primário (modo de funcionamento do inconsciente). O mesmo autor considera que essa lógica, que se encontra quiescente, emerge no pensamento esquizofrénico, dominando-o e sobrepondo-se à Lógica Aristotélica. O paciente esquizofrénico abandona as normas Aristotélicas de pensamento e adopta a forma Paleológica afim de escapar à angústia, porque, ao interpretar a realidade à luz da Lógica Aristotélica, esta é sentida como ameaçadora e insuportável. Finalmente, Arieti esclarece que os princípios da Paleológica não explicam os fenómenos dinamicamente, apenas formalmente. O estudo dos mecanismos psicodinâmicos revela o quê e o porquê (conteúdo e motivação), ao passo que o estudo dos mecanismos formais revela como se processam o pensamento e o sentimentos.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.10/586
ISSN: 2182-3146
Aparece nas colecções:Psilogos Vol.02 Nº1 (Jul 2005)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Melo, 75-81.pdf148,22 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.