Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.10/968
Título: Infeções fúngicas invasivas em cuidados intensivos neonatais
Outros títulos: Invasive fungic infections in neonatal intensive care unit
Autor: Mascarenhas, MI
Ferreira, M
Barroso, R
Palavras-chave: Infecções oportunistas
Infecções fúngicas invasivas
Criança
Prematuro
Baixo peso ao nascer
Unidade de cuidados intensivos neonatais
Portugal
Data: 2012
Editora: Sociedade Portuguesa de Doenças Infecciosas e Microbiologia Clínica
Citação: Rev Port Doenc Infec. 2012; 8(3): 142-148
Resumo: Introdução: A incidência de doença fúngica invasiva (DFI) em recém-nascidos (RN) pré-termo tem aumentado nas últimas décadas. Estudos recentes apoiam a implementação de profilaxia antifúngica em Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN) com elevadas taxas de DFI (>5%). Foi objectivo deste estudo determinar a incidência de DFI na UCIN do Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, respectivos factores de risco e determinar a necessidade de implementar profilaxia antifúngica. Métodos: Estudo descritivo retrospetivo, entre 2004 e 2011, que incluiu todos os RN internados na UCIN com o diagnóstico de DFI, definida pelo isolamento de fungos no sangue, líquor ou urina. Foram analisados factores de risco, etiologia e terapêutica. Resultados: Dos 3229 RN internados neste período, 20 (0,57%) tiveram DFI, sendo que nos RN de extremo baixo peso a incidência foi de 8,6%. A mediana da idade gestacional e do peso ao nascer foi de 27 semanas (24-41s) e 775g (630-5270g), respectivamente. A mediana de dias de internamento à data do diagnóstico foi 20 dias (5-103d). Todos os RN tinham um ou mais factores de risco com uma média de seis por RN (3-7). Para além do baixo peso e idade gestacional, outros factores de risco foram : presença de cateter venoso central (100%) e administração de antibioticoterapia de largo espectro (100%). O agente etiológico foi Candida spp em 100% dos casos. Não se verificou nenhum óbito e todos os RN iniciaram terapêutica antifúngica: fluconazole (74%) ou anfotericina B lipossómica (26%). Conclusão: A taxa de incidência global de DFI observada foi semelhante à descrita na literatura. A prematuridade, a presença de cateter central e a administração de antibióticos de largo espectro foram os factores de risco mais frequentes. Verificou-se uma taxa de DFI maior nos RN de muito baixo peso (peso à nascença <1500g), nos quais a profilaxia antifúngica deve ser considerada dado o risco de mau prognóstico.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.10/968
ISSN: 1646-3633
Aparece nas colecções:PED - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RPDI 2012.pdf5,4 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.